Estilo Greenpeace

 

o0606094

 Preocupados como anda nossa consciência com o mundo, procuramos nas pequenas coisas o que pode ser uma grande ação.

Tanto faz se você freqüenta a Rua Oriente ou a Oscar Freire, será que suas compras são ecologicamente corretas? Pra quem acredita que não utilizar peles de animas já esta ajudando, claro que esta, mas você pode fazer mais! O Espaço Greenpeace loja de roupas localizada dentro do Shopping Frei Caneca, é um espaço de moda que segue os pilares da instituição.

Conversei com a Ana Maria Fuentes, que é uma das proprietárias do espaço que completará três anos em setembro e a loja não recebe qualquer tipo de subsídio, ou seja, tem se mantido como outro negocio de mercado. Em dezembro do ano passado foi aberta a loja virtual que vai indo bem, com clientes fiéis e novos chegando todos os dias. Acompanhe a entrevista:

BZ: Como surgiu a idéia de montar o Espaço Greenpeace?

AMF: ‘ Durante algum tempo, o Greenpeace teve lojas em quase todos os locais onde tinha escritórios, com o objetivo de levantar fundos e de desenvolver produtos ambientalmente amigáveis relacionados com suas campanhas. A partir de um momento, a organização, julgando que o lançamento e venda de produtos não eram bem a sua área de excelência, decidiu fazer uma experiência no Brasil, e firmou um contrato de exclusividade com a Todaba Participações Ltda. para o licenciamento de produtos ecologicamente corretos.

BZ: Quais os pilares que o Greenpeace estabelece para esta loja?

AMF: No passado algumas indústrias alegavam que a produção limpa implica em custos que os consumidores não estão dispostos a pagar. No entanto, os produtos licenciados pelo Greenpeace mostram o contrário. Sempre que existirem alternativas razoáveis e inteligentes, também teremos pessoas dispostas a consumi-las. A loja do Greenpeace prova isso.

BZ: Existe um critério para o desenvolvimento das peças?

AMF: Sim. Temos um limite de cerca de 5% de componentes não orgânicos em nossos produtos. Os produtos também têm que ter algo a ver com as campanhas que o Greenpeace desenvolve. Enfim, nossos produtos devem ser ambientalmente amigáveis e ter conexão com nossa causa.

BZ: As peças comercializadas seguem um valor mercadológico, segue tendências?

AMF: Nossos produtos de moda – camisetas, bonés, bolsas e mochilas tem posicionamento de preço médio apesar de serem fabricados com materiais de primeira e muitas vezes exclusivos. Nossa tendência é clean com atitude.

BZ: O que falta para o mercado têxtil ter uma consciência ecológica?

AMF: Na minha opinião, que é muito pessoal, o que falta é a exigência do consumidor. Ou seja, quando o problema ambiental e as exigências do mercado começarem a causar “dor no bolso”, quem tiver respostas rápidas a essa exigência vão ter vantagem competitiva.

BZ: O que se pode encontrar no Espaço, quais as variedades? São peças exclusivas?

AMF: Entre os produtos ecologicamente amigáveis à venda no Espaço Greenpeace encontra-se camisetas, bonés, chapéus, bolsas, mochilas e acessórios fabricados com tecido 100% algodão cru lavado, cujo processo é não poluente, ao contrário do algodão alvejado, altamente poluente. Nossos corantes são de origens vegetais, orgânicos e não poluentes, além de bijuterias e materiais de papelaria produzida com papel 100% reciclado. Eventualmente usamos outras fibras de origem vegetal. Esses produtos são licenciados e/ou aprovados pela ONG, e são absolutamente exclusivos.

É bom saber que ainda temos como andar na moda sem “perder de vista” o nosso critério com o bem estar do planeta. “O Greenpeace é uma instituição sem fins lucrativos e independente, por isso não aceita doações de governos, empresas ou partidos políticos.”

Venha conhecer: Shopping Frei Caneca – rua Frei Caneca, 569, Cerqueira César. Tel: 3231-4493. http://www.greenpeace.org/brasil/loja/